Capital Humano

As condições para estimular intraempreendedores a inovar

Como forma de provocar disrupturas que apontem novos caminhos para o negócio crescer — e inspiradas por startups que lucram bilhões de dólares —, grandes empresas tentam estimular a inovação capacitando e empoderando profissionais com qualidades diferenciadas de empreendedorismo.

Chamados de “empreendedores residentes”, os intraempreendedores são os inovadores não convencionais que vão além dos limites em grandes organizações.

Pesquisa sobre intraempreendedores da Turnstone, empresa de mobiliário inovador para empreendedores, mostra que, ao levar o espírito empreendedor e a cultura de startups para as grandes empresas onde trabalham, esses profissionais revelam que querem liderar e contratar seus próprios times para fazer a diferença em iniciativas inovadoras, buscam definir seus próprios parâmetros para os projetos e trabalham ativamente contra barreiras corporativas tradicionais.

Não à toa, 72% dizem que o empoderamento afeta diretamente seu sucesso e 66% dizem que a autonomia para criar as equipes e escolher os projetos é importante ou muito importante.

Confira a seguir as condições que, de acordo com o estudo da Turnstone, fazem intraempreendedores acionar toda sua capacidade criativa nas empresas:

Mentalidade focada na transformação
Intraempreendedores nutrem um desprezo saudável pelas formas convencionais de trabalhar e pensar. Eles trabalham em grupo para resolver problemas complexos e transformar positivamente o setor da empresa. Essa mentalidade transformacional dá ao intraempreendedor um senso de propósito e otimismo para assumir riscos extraordinários, promovendo uma cultura que “faz”, predisposta a entregar resultados que mudam o jogo.

Inspirar confiança é combustível para a inovação
Inovadores precisam prestar contas para prosseguir com seu trabalho. Com metas e métricas claras, protótipos são apresentados para obter financiamento, cronogramas são ajustados e as ideias são refinadas. Cada um desses pontos é crucial para manter a velocidade para inovar. Durante esse processo, os intraempreendedores usam storytelling para inspirar e convencer amplamente as pessoas da empresa, mantendo a inovação viva.

Inovação requer liderança
A mudança começa com o líder. Líderes não só moldam uma cultura de inovação, como também conduzem a cultura com base em seus próprios pontos de vista sobre falhas, riscos e disruptura. Portanto, o nível de empoderamento da equipe de inovação vem diretamente do topo e, eventualmente, cascateia para o resto da organização, criando um efeito dominó baseado na confiança e na liberdade de criar novas soluções.

Ambiente de “agilidade restrita”
As equipes de inovação são altamente colaborativas e ágeis, e se apoiam ativamente no design thinking e em pontos de vista divergentes para desenvolver ideias. No entanto, a agilidade da equipe é cercada por políticas e hierarquias corporativas que governam a organização. O progresso alcançado rapidamente por essas equipes deve eventualmente aguardar a permissão para arriscar e o financiamento de altos executivos, criando uma “agilidade restrita”. Os empreendedores equilibram essas dinâmicas incertas com uma abordagem de empatia centrada no cliente, que dá sentido ao seu trabalho.

Cultura de empoderamento
Intraempreendedores prosperam em uma cultura de confiança e empoderamento. Abastecidos por sua própria motivação para resolver problemas difíceis, eles geralmente procuram carta branca para ter a liberdade de contratar seu time e explorar novas fronteiras. Quando o trabalho se baseia na confiança, líderes de todos os níveis têm o poder de ir além dos limites.

Advertisements