CEO

Desafiando a nova função de TI

A confluência de novas tendências tecnológicas — computação na nuvem (cloud), a inclusão de dispositivos móveis no ambiente de trabalho e a capacidade de processar grandes volumes de dados — vem indicando uma transformação na forma como a área de TI será utilizada pelas empresas no futuro próximo.

O fato é que os impactos da tecnologia já não se limitam à função central e tradicional de TI (controlar a infraestrutura de tecnologia e disponibilizar serviços ao negócio). Nesse sentido, escolher entre custo e inovação tende a se tornar um modus operandi ultrapassado, pois os investimentos em TI com o objetivo de tornar o negócio mais eficiente também podem acabar sendo inovadores.

De acordo com o report The C-suite Challenges IT: New Expectations for Business Value, “há espaço para que as empresas utilizem TI de uma maneira que realmente faça diferença para o negócio, seja ajudando a desenvolver produtos ou serviços, melhorando processos de negócios, reduzindo custos de infraestrutura de TI ou uma combinação disso tudo”.

Para que as empresas aproveitem plenamente essas oportunidades, a pesquisa aponta duas condições básicas:

1. Líderes de TI precisam passar a desempenhar um novo papel, endereçando as necessidades fundamentais do negócio com linguagem apropriada para mobilizar a alta liderança e, assim, obter investimentos indispensáveis em tecnologia;

2. O CEO deve trabalhar para transformar a forma de utilizar TI, considerando o seguinte:

Pense grande. Novas ondas de inovação tecnológica têm a capacidade de transformar as funções de TI, bem como os fundamentos sobre os quais as organizações tocam suas operações. O impacto potencial não deve ser visto apenas como algo que afeta o futuro da função de TI, mas também a estratégia geral do negócio.

Empodere seu líder de TI. O aumento do acesso à infraestrutura de TI como commodity oferece a oportunidade de repensar — e às vezes reduzir — a escala e o escopo da função de TI. Mas não se deve confundir isso com a limitação do papel do líder de TI. Esta tendência, na verdade, pode liberá-lo para agregar mais valor.

Não mantenha “a função de TI” isolada. Algumas das organizações que se adaptam melhor às novas tendências têm optado por deslocar líderes de TI para o negócio, para que eles possam ficar mais alinhados às necessidades da empresa em geral.

Reconsidere como a empresa avalia investimentos. É possível estarmos à beira de uma reviravolta genuína em TI, em que o trade-off entre investir em novas tecnologias para cortar custos ou gerar receita torna-se redundante. As empresas podem alcançar ambos.

Risco continua sendo risco. As organizações estão preocupadas com os riscos associados aos avanços tecnológicos, e com razão. Mas sua compreensão sobre esse cenário está amadurecendo: as ameaças já podem ser identificadas, avaliadas, gerenciadas ou evitadas — assim como qualquer outro risco comercial.

Advertisements