Risco

Antes que o deslize se torne viral

Estratégias digitais transformam a organização, por isso Conselhos precisam estar preparados para acompanhar os negócios 24h por dia, 365 dias por ano, em um novo contexto. Precisam garantir que podem aguentar esse ambiente “sempre conectado” contra riscos e ataques cibernéticos, além de assegurar uma adaptabilidade contínua da empresa frente a ambientes em constante mudança.

Hoje o que acontece online está rapidamente se tornando central para a equação da governança. Então, o impacto das redes sociais sobre o risco corporativo, reputação e operações já não pode ser ignorado em reuniões de Conselho. Na verdade, as informações coletadas em mídias sociais como Facebook, Twitter e LinkedIn podem fornecer informações valiosas sobre o sucesso da estratégia corporativa.

Como sugere artigo da Stanford Business School (“Monitoring Risks Before They Go Viral”) o que é postado em mídias sociais tem o potencial de complementar a informação sobre os fatores de risco enfrentados por uma organização.

Isso significa que em vez de ser forçada a emitir um pedido público de desculpas diante de algum deslize que se torne viral e eventualmente ter de reestruturar alguma operação, por exemplo, a empresa pode ser proativa monitorando e analisando as discussões online sobre sua marca corporativa.

Com esse tipo de input fornecido pela gestão, Conselhos obtêm mais dados e se tornam mais capazes de alertar a organização sobre os riscos que a companhia corre, oferecendo as melhores saídas para enfrentar a situação ou ajudar a corrigir incidentes que impactem na reputação da empresa.

É certo que qualquer empreendimento estratégico traz riscos inerentes. Mais especificamente os riscos em torno de projetos digitais, segundo Kate Lewis, do NCC Group, podem ser mais bem compreendidos e medidos pelo Conselho se seus membros conseguirem avaliar alguns fatores como:

  • Compliance com as regulamentações do setor da organização quanto à proteção de dados;
  • Ameaças de segurança cibernética no panorama digital geral;
  • Riscos potenciais na execução do projeto (especialmente quando tiver alta visibilidade);
  • Preparo da organização para a mudança em termos de pessoas, processos e tecnologia.

Ao monitorar a estratégia digital imaginada pela alta gestão e, ao mesmo tempo, desafiar as diretrizes quando necessário, Conselhos devem encontrar uma forma de equilibrar inovação/aceleração com segurança/governança.

Advertisements