Estratégia

IoT acelerando a capacitação

iot1Ao comentar o impacto que a aprendizagem contínua tem na competitividade de uma organização, Arie de Geu, em seu livro The Living Company disse: “a capacidade de aprender mais rápido do que a concorrência pode ser a única vantagem competitiva sustentável”. Isso há quase 20 anos!

Não por acaso, aprender rapidamente via universo digital já se apresenta como a opção mais condizente à velocidade do atual contexto. Graças à riqueza de novos dispositivos, indivíduos e organizações permanecem sempre ligados, facilitando a busca e assimilação de novas informações e habilidades.

Em grande parte essa conexão intensa se deve à IoT (Internet of Things), definida como a comunicação e a troca de informações entre dispositivos pela Internet com pouca ou nenhuma intervenção humana. Segundo informação do IAB, trata-se de um novo ecossistema de dispositivos conectados que a Cisco estima que vá chegar a 50 bilhões até 2020, com poder de unificar como nunca pessoas, processos, dados e coisas.

De um ano para cá, a IoT já deixou de ser algo futurístico, sendo cada dia mais presente na realidade de mercado. O número de pessoas e negócios que colocam foco em dispositivos inteligentes e suas aplicações em rede cresce sem parar.

Mas com toda sua abrangência, é importante frisar que a IoT não se limite à coleta de dados, mas também seja utilizada para apoiar a criação de conhecimento. Afinal, dispositivos digitais oferecem oportunidades incomparáveis na aprendizagem, acelerando a forma como o conhecimento é trocado e como a aprendizagem pode ser estimulada e enriquecida.

Aprender a qualquer hora, de qualquer lugar já é um pré-requisito da capacitação. Nesse sentido, a  IoT com base no cloud só acena oportunidades para ganhar mais agilidade e reduzir esforços na hora de levar as pessoas a experimentar a aprendizagem digitalmente. Especialmente porque sistemas inteligentes não precisam necessariamente ser incorporados nos dispositivos que operam na ponta do sistema.

Assim, novas estratégias organizacionais e de aprendizagem para redes de sensores deverão ser adotadas para reformar completamente sistemas de capacitação. O importante será desenvolver sistemas sofisticados e flexíveis capazes de processar informações de forma efetiva. Algo que poderá tornar o desenvolvimento de profissionais mais aderente às demandas da força de trabalho futura.

Segundo report do WEFIndustrial Internet of Things: Unleashing the Potential of Connected Products and Services”, Conselhos e altos executivos precisam agir hoje para estar preparados para o mercado de talentos digitais. Para isso, precisam começar a examinar abordagens existentes, lidar com as limitações do conceito clássico de controle hierárquico e considerar o potencial da IoT, experimentando novos modelos para a força de trabalho digital.

Advertisements