CEO

Liderar no atual contexto

WP_20160718_021A (1)Todas as organizações precisam de bons CEOs. Mas o que é necessário para liderar uma organização atualmente, em tempos de expansão acelerada e ruptura de modelos?

Primeiro é preciso ser bom em fazer a leitura de contextos, depois ser capaz de gerenciar cenários de forma proativa. Isso porque, mesmo que a organização não seja “exponencial”, a flexibilidade para responder às circunstâncias atuais, em transformação constante, é fundamental.

Outro ponto: um líder eficaz deve ser capaz de mudar, ou pelo menos ajustar, a cultura de uma organização. Mas nem todo líder precisa ser um agente de mudança. O importante é o Conselho entender a situação vigente da empresa e que tipo de líder é exigido na atual conjuntura.

Se grande parte das empresas de sucesso tem o foco em seus clientes e os melhores CEOs gastam tempo com isso, vale considerar esse aspecto no candidato. Mas também é importante que esse executivo passe boa parte do tempo pensando sobre o futuro, além de demonstrar ter foco em qualidade e inovação.

O problema é que muitas vezes Conselhos escolhem um novo CEO com base em decisões fracas, deixando-se influenciar pela reputação ou amabilidade do candidato.

Em vez de fornecer uma fórmula, Kelvin Westbrook oferece um conjunto de perguntas no qual um Conselho pode se apoiar na hora de escolher um novo CEO:

Quais são as habilidades mais importantes e necessárias de um líder?

A escolha certa é diferente da escolha segura?

Quanto a organização é capaz de mudar? (70% dos esforços de mudança falham…)

O trabalho do líder é forçar a mudança? O que um líder deve fazer para se preparar para os dias subsequentes?

O que pode motivar a mudança? Paixão pela ruptura? Medo de se tornar obsoleto?

Como o líder instiga comprometimento na mudança?

Como o líder lidera diante da turbulência? Quem realmente fica confortável no caiaque?

Uma vez que tenha escolhido o líder certo, o que o Conselho pode fazer para garantir que o CEO tome as decisões certas?

Para nós, como organização, como o sucesso se parece, qual a “cara” que ele tem? Com o que nos parecemos hoje, e que aparência queremos ter amanhã?

Advertisements