Estratégia

Reinventando modelos de negócios

Business woman Builds a TowerHoje, nenhum setor ou organização está a salvo de rupturas. E quando elas ocorrem, o Conselho e a liderança precisam agir, pois mudanças radicais não põem em xeque apenas os negócios tradicionais, elas podem forçar a reinvenção de setores inteiros da economia ou mesmo da sociedade.

Isso envolve, entre outras coisas, romper limites para formar outras parcerias, criar ecossistemas mais amplos ou abrir-se para novas plataformas, bem como reinventar completamente modelos de negócios.  Lembrando que esses movimentos fazem com que a concorrência esteja cada vez mais presente entre todos os setores, e não apenas em um só setor.

Diante desse cenário e da grande imprevisibilidade que Conselhos enfrentam hoje em seus setores, Susan Stautberg, CEO do Women Corporate Directors Foundation (WCD), aponta a necessidade de conselheiros serem sintetizadores de informação. “Precisamos de membros capazes de ver a fumaça no horizonte e trazer essa percepção para as organizações às quais servem”, diz.

Em enquete do WCD sobre esse esfacelamento de modelos de negócios, Teresa Amabile, professora e diretora de Pesquisa da Harvard Business School, esclarece que nem sempre a inovação tem a ver com novas tecnologias; muitas vezes trata-se de inovar o modelo de negócios. “Pense no Uber: o Uber não inventou carros. O Uber não inventou a ideia de um estranho dar uma carona a outra pessoa — isso existe desde que há carruagens e táxis. Mas o Uber inventou um novo modelo de negócio ao fazer isso. A FedEx tampouco inventou a entrega de pacotes, mas inventou um novo modelo de negócios fora do comum ao fazer isso.”

Para a pesquisadora, Conselhos precisam estar cientes de que é a cultura que vai abrir a empresa a novos modelos de negócios. “É como aquela famosa citação de Peter Drucker: ‘a cultura come a estratégia de café da manhã’”, lembra Amabile. “Você pode ter a melhor estratégia posicionada, mas se não tem a cultura adequada dentro da sua empresa para executá-la, tudo vai falhar”, afirma.

Advertisements