Estrutura

Limite no mandato para revitalizar

concept of choiceDe acordo com pesquisa da BoardSource deste ano, 71% das organizações limitam o número de mandatos consecutivos de um conselheiro. A estrutura mais comum de duração para um membro servir em um Conselho é de dois mandatos consecutivos de três anos. Os resultados apontam que 63% das organizações têm mandatos de três anos e 62% permitem que os membros sirvam dois ou três mandatos consecutivos.

Isso significa que, em média, Conselhos permitem que seus membros sirvam até seis anos consecutivos. Nesse formato é possível aliar uma dose de continuidade com certa rotação na composição, garantindo uma combinação da memória institucional e de novas perspectivas.

De fato, impor limites de duração em mandatos é um mecanismo essencial para a revitalização de Conselhos. Segundo as conclusões do estudo, um turnover regular (oficial) incentiva o Conselho a prestar atenção à sua composição, ajuda a evitar a estagnação e a expandir o networking da organização, além de estabelecer um método respeitoso e eficiente para a remoção de membros improdutivos.

Outro ponto ressaltado é que essa delimitação no tempo de mandato não impede que membros do Conselho valiosos continuem conectados à organização, por exemplo, com tarefas específicas em comitês ou eventos especiais no Conselho.

Para se manter relevante e conectada a seu contexto e stakeholders, a organização precisa ter um Conselho que represente sua realidade, adotando praticas que ajudem a renovar pontos de vistas e a ampliar perspectivas, gerando mais conexão com as mudanças do mundo atual.

Advertisements