Risco

Compliance em tempo real

iStock_000020712203_SmallAAssegurar que a organização e seus colaboradores cumpram leis e regulamentações é uma das atribuições do Conselho. Sem contar que o cumprimento das normas com padrões elevados produz efeitos positivos na reputação e na imagem da organização — bens imprescindíveis para a continuidade do negócio.

Hoje, quando falham no compliance, as empresas sentem que há menos lugares para se “esconder”, já que a mídia e stakeholders alcançam audiências maiores mais rapidamente. Por isso, mais do que nunca as organizações estão interessadas em evitar riscos.

E em termos de compliance, é preferível antecipar e prevenir a ter que reagir aos problemas, embora muitas vezes cumprir normas seja algo autossuficiente — e não necessariamente uma parte dos processos de negócio. De todo modo, é preciso garantir que a organização tenha capacidade de tratar os riscos devidamente no momento em que surgem.

No entanto, procedimentos de compliance podem retardar respostas e se tornar um fardo oneroso e burocrático. Claro que o propósito é dificultar a ocorrência de ações indesejáveis ou que causem danos ou violação de requisitos. Mas, de acordo com Colin Coulson-Thomas, chairman especialista em desenvolvimento de negócios, com foco em Conselhos e assuntos corporativos, há uma tendência de tornar questões de compliance mais simples para as pessoas.

Trata-se de uma nova abordagem que aposta na “facilitação”, com medidas práticas e acessíveis para assegurar compliance, disponibilizando o apoio que as pessoas necessitam para responder em conformidade com leis e regulamentos pertinentes a questões, desafios e oportunidades, seja quando for e sempre que surgirem.

Ou seja, em vez de buscar culpados e apostar na punição, a ideia é prestar apoio online imediato às equipes-chave, responsáveis pela entrega de objetivos prioritários para o negócio, estimulando que se comportem da forma desejada e protejam o negócio contra atitudes que infrinjam as leis, normas, regulamentos, diretrizes e políticas.

Segundo Coulson-Thomas: “Requerimentos, prioridades, regras, códigos, leis, regulamentos, diretrizes e as melhores práticas podem mudar e, de fato, mudam. Abordagens modernas permitem que informações de compliance relevantes sejam atualizadas instantaneamente, inclusive por meio de dispositivos móveis (tablets e celulares de última geração). Com esse tipo de recurso, é possível que colaboradores e equipes no mundo todo implementem, em tempo real, novas respostas compatíveis com os problemas e oportunidades que, às vezes, nem sabiam que existiam no início do dia”.

Fica a dica.

Advertisements