Top discussion

Perspectiva do RH

Human resources and CEOConsiderando que a qualidade dos talentos de uma organização está diretamente relacionada à capacidade da empresa em implementar sua estratégia, seria natural que Conselhos dedicassem mais tempo às questões de talento.

De acordo com Marcela Perez de Alonso, especialista em iniciativas estratégicas de RH e ex-VP de RH da Hewlett-Packard, “como parte da estratégia, Conselhos precisam saber como a força de trabalho vai se configurar no futuro”. Para ela, há tópicos amplos que devem ser discutidos, como:

  • Será que a empresa tem as competências essenciais para se manter competitiva?
  • O que estamos fazendo para recrutar e reter perfis de profissionais adequados ao negócio?
  • Quais são as implicações financeiras de fazer a gestão de uma força de trabalho global?

Para ela, saber como será o local de trabalho do futuro é uma grande questão para conselheiros por suas implicações para o negócio. No entanto, Conselhos não passam tempo suficiente sobre esta questão porque, na verdade, o foco acaba sendo a governança e os desafios do ambiente competitivo.

Mas “a partir de uma perspectiva de RH, é possível agregar valor a essas conversas para entender melhor não só a natureza do trabalho, como também qual será o perfil do colaborador do futuro e se a organização vai poder obter o nível adequado de profissionais competentes para executar a estratégia do negócio”, diz.

A ideia é que à medida que Conselhos passem a se interessar mais pela forma como o pool de talentos pode apoiar e impulsionar crescimento, profissionais de RH estarão discutindo necessidades de talento futuras.

De acordo com pesquisas da consultoria Spencer Stuart, as empresas que estão atingindo crescimento consistente de dois dígitos, a longo prazo, são as que estão olhando para estratégias de recursos humanos, gestão de talento e desenvolvimento e não apenas para o planejamento de sucessão.

Há cada vez mais uma tendência de que conselheiros serão mais efetivos se, de forma proativa e regularmente, se aproximarem de executivos em várias questões estratégicas de RH. Afinal, ter uma perspectiva sólida de RH nas reuniões pode ajudar o Conselho a estar mais bem preparado para atender seu dever fiduciário com acionistas.

Advertisements