CEO

CEO Social: o perfil que faltava

businessman hand working with new modern computer and business sComunicação, reputação e resultados. Esses são os principais motivos pelos quais a maioria dos executivos deseja que seus CEOs participem das redes sociais. Segundo o estudo “The Social CEO: Executives Tell All”, publicado pela Weber Shandwick, a previsão é de que até 2017 haja um crescimento de 63% na participação de CEOs nas redes sociais.

Isso porque, hoje, o que é dito ou postado no Twitter, LinkedIn, Facebook, YouTube, Instagram e outras redes segue um fluxo contínuo, mesmo quando a gestão não está de olho. E quando a alta liderança falha em falar por si, outras vozes seguem com o debate de qualquer modo. Isso evidencia o risco inerente desses poderosos canais de comunicação, que pode afetar a reputação da marca, a confiança do consumidor e até mesmo a liderança da empresa.

Afinal, além de dar visibilidade à cultura da empresa e oferecer contexto para decisões de negócios, as mídias sociais ajudam a reforçar a liderança. Como em nenhuma outra época, a imagem da empresa e a de seus líderes estão muito conectadas. Basta pensar em figuras como Mark Zuckerberg (Facebook), Jeff Bezos (Amazon) e Richard Branson (Virgin), só pra citar alguns.

Consumidores de hoje entendem essa ligação e buscam transparência ao apoiar uma marca. Ao usar canais de mídia social as pessoas manifestam crenças e sentimentos a respeito da marca com base na percepção da liderança, transparência e inovação da empresa. E isso acaba moldando a reputação da marca.

Por isso, ignorar as redes sociais é o mesmo que o CEO deixar que qualquer pessoa molde a história e a cultura da marca, influenciando sua reputação. Por outro lado, o engajamento do CEO em mídias sociais tem um impacto real e duradouro sobre como as pessoas veem uma marca, o que, eventualmente, afeta o sucesso de longo prazo da empresa.

Considerando que daqui para frente as redes sociais serão mais importantes do que nunca para CEOS e altos executivos, a pesquisa “2014 The Global Social CEO”, da  BRANDfog destaca três tendências de impacto:

CEOS Sociais são melhores líderes: Entre 2012 e 2013, a percepção de que a participação de CEOs nas mídias sociais leva a uma melhor liderança aumentou de 45% para 75%.

O engajamento de CEOs em redes sociais aumenta a confiança na marca: a maioria dos executivos acredita que uma empresa cujo CEO e a alta liderança usam as mídias sociais para se comunicar sobre a Missão, Cultura e Proposta de Valor torna-se mais confiável.

A mídia social é a moderna área de Relações Públicas: essa é uma das descobertas mais reveladoras, especialmente para uma marca em crise. Mais de 2/3 dos executivos concordam que a mídia social tornou-se um aspecto essencial da estratégia de RP e comunicação para altos executivos.

Advertisements