Estratégia

Pergunta essencial

Red Question MarkUma coisa é definir a estratégia do ponto de vista funcional. Outra totalmente distinta é saber desafiar e avaliar estratégias. Especialmente para executivos de fora da empresa — os chamados NEDs (non-executives) — que não têm controle direto sobre elas. E esse ajuste pode ser duro, ainda mais para quem está acostumado a ter acesso irrestrito a equipes e informações.

A primeira coisa ao avaliar a estratégia proposta pela alta liderança é que o Conselho deve encontrar a medida certa para desafiar o CEO e sua equipe de forma construtiva. Conselheiros têm a responsabilidade de praticar a independência de pensamento, reconhecendo, ao mesmo tempo, que não estão isentos de se perder. O fato é que riscos potenciais e consequências desfavoráveis de uma estratégia precisam sempre ser discutidos no Conselho. E um jeito de evitar conflitos desnecessários é fazendo as perguntas certas.

Por exemplo, um dos caminhos é manter a clareza sobre os principais propósitos da empresa, já que sempre há um propósito mais fundamental e duradouro (que extrapola a geração de lucro), enraizado pelos fundadores ou por valores e expectativas que se sedimentaram ao longo do tempo. Em geral, ao perguntar “O que isso tem a ver com nosso propósito?”, o Conselho consegue estimular debates focados e esclarecedores.

Vale lembrar que a gestão é mais propensa a apresentar uma visão positiva de sua estratégia, tanto em relação aos pressupostos em que ela se baseia, quanto a seus resultados esperados. Como o excesso de confiança aumenta a probabilidade de consequências adversas, é importante ficar atento para combater a tendência a esse tipo de otimismo.

Segundo Neil Britten, consultor e membro não-executivo em Conselhos, questionar é sempre o melhor método. “No processo de avaliação da estratégia, é importante explorar tanto as opções que ela pode criar como as que pode limitar. Um exercício que funciona para examinar o risco estratégico é convidar os conselheiros a imaginar que a estratégia falhou e perguntar por quê”, explica.

É unânime: sempre perguntar por quê. Por que estamos fazendo isso? Responder o porquê conduz a uma avaliação fundamentada da estratégia, a ponto de chegar à pergunta essencial: “Esta é a estratégia certa?”.

Advertisements