Estrutura

Pessoas certas à mesa

OLYMPUS DIGITAL CAMERANinguém duvida que há um certo glamour em fazer parte de um Conselho — considerado a arena top do pensamento estratégico nos negócios. Só que a composição do Conselho pode ser um impedimento grave para sua efetividade, quando não é bem elaborada.

Os Conselhos mais eficazes são aqueles que cumprem facilmente suas tarefas básicas — ajudar as empresas a atender as regulamentações básicas de compliance, dar orientação e consultoria estratégica consistente — e vão muito além, mantendo-se conectados à realidade e ao momento da organização.

Para William Whittaker, diretor-presidente do Institute of Directors da NZ, enquanto o compliance é parte essencial para operar legalmente e de forma ética, constituir um Conselho significa ter pessoas que possam oferecer aconselhamento independente como forma de gerar valor e impulsionar crescimento. “O que a empresa busca são conselheiros com experiência e habilidades relevantes, bom senso e com boa capacidade de avaliar seu mercado”, ressalta.

E, mesmo sendo uma preocupação crescente, os Conselhos muitas vezes não têm a capacidade de avaliar objetivamente sua composição para determinar se têm as pessoas e as habilidades certas à mesa.

Primeiro, porque Conselhos tendem a ser compostos de pessoas com repertório similar, o que vai de encontro aos desafios de negócio de hoje, que exigem cada vez mais novas perspectivas e habilidades complementares.

Depois, alguns “donos” têm medo de perder o controle. Muitos gostam de ter alguém de fora fazendo perguntas difíceis, contanto que a responsabilidade pelo sucesso da empresa seja exclusivamente deles, por exemplo.

Mas, ainda que recrutar e desenvolver candidatos com as habilidades certas para sentar-se à mesa de comitês diretivos seja uma tarefa complexa, ela é essencial para formar um Conselho de alta performance.

Abaixo reproduzo as cinco ideias, publicadas no report “Time for change”, com potencial para transformar o recrutamento de membros para o Conselho:

1. Reveja a exigência de que os candidatos devem ter experiência anterior de alto nível em Conselhos.

2. Amplie a busca para incluir aqueles com habilidades analíticas, pensamento independente e capacidade tanto de dar apoio, como de desafiar.

3. Realinhe a composição do Conselho de acordo com a necessidades do negócio, olhando para quantidade de diretores não-executivos, tempo de serviço e as necessidades específicas do setor.

4. Considere (fazer publicidade) divulgar os postos disponíveis para o Conselho.

5. Proporcione formação para candidatos a membros não-executivos dentro de sua própria empresa, colocando-os em comitês logo abaixo do nível do Conselho.

Advertisements